Rei D Carlos, um naturalista oceanógrafo: Materiais de ensino e do projeto HIPST

Description
Rei D Carlos, um naturalista oceanógrafo: Materiais de ensino e do projeto HIPST

Please download to get full document.

View again

of 4
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Information
Category:

Entomology

Publish on:

Views: 7 | Pages: 4

Extension: PDF | Download: 0

Share
Transcript
  Rei D Carlos, um naturalista oceanógrafo 1. Título Rei D Carlos de Bragança, um naturalista que se tornou pioneiro da Oceanografia em Portugal: Recursos para o ensino das ciências Palavras-chave: História da ciência; História da Oceanografia; Natureza da Ciência; Ensino da Biologia; Educação em Ciências; Museus e Ciência. 2. Autores e Instituições Cláudia Faria, Gonçalo Pereira, Isabel Chagas Instituto de Educação, Universidade de LisboaCampo Grande, Edifício C6, Piso 1, 1749-016, Lisboa, Portugale-mail: cbfaria@ie.ul.pt; goncalobarreiro@yahoo.com; michagas@ie.ul.pt  Este estudo de caso resultou de uma parceria entre o Instituto de Educação da Universidade de Lisboa e o Aquário Vasco da Gama. 3. Resumo O caso de D Carlos de Bragança, Rei de Portugal de 1889 a 1908, um Oceanógrafo pioneiro, serve como ponto de partida para a exploração de temas relacionadoscom a classificação biológica, métodos de colheita de espécimes e a ilustração biológica (desenho por observação). As actividades propostas ajudam o aluno adesenvolver um conhecimento aprofundado acerca da natureza da ciência e dos métodos de pesquisa, promovendo também uma maior consciência acerca dascomplexas interacções que se estabelecem entre a ciência e a sociedade. As actividades centram-se no trabalho desenvolvido pelo Rei D Carlos, que se dedicou ao estudo da fauna costeira Portuguesa, e são dirigidas aos alunos de Biologiado Ensino Secundário (10º e 11º anos). Este conjunto de actividades inclui uma tarefa inicial de orientação para o tema, dois workshops a serem desenvolvidos no Aquário Vasco da Gama e uma tarefa final de consolidação das aprendizagens. Na sala de aula, os estudantes têm de analisar excertos de documentos históricossrcinais acerca do trabalho do Rei, com o objectivo de discutir e reflectir acerca da natureza da ciência. No Aquário, os estudantes participam activamente emactividades relacionadas com a classificação biológica e o desenho por observação. Esta proposta baseia-se na perspectiva de que o envolvimento dos estudantes numa visita de estudo a um museu de ciência, enriquecendo-a com uma dimensão histórica, constitui umcontexto promotor de uma maior compreensão acerca dos processos científicos e da sua evolução ao longo do tempo. Por outro lado, permite evidenciar a importância dos museus de ciênciacomo excelentes locais para a implementação de actividades imbuídas de uma perspectiva histórica, visto muitos deles possuírem colecções históricas que representam recursos únicos,raramente disponíveis nas escolas. 4. Descrição do estudo de caso O tema central das actividades propostas é o trabalho desenvolvido por D Carlos de Bragança, Rei de Portugal (1889-1908), um oceanógrafo pioneiro que se dedicouao estudo da fauna costeira Portuguesa, tendo deixado um legado científico extremamente rico. O Rei dedicou-se ao estudo do mar, tendo-se preocupado em acumular dados de uma forma sistemática. Durante 12 anos de campanhas oceanográficas ao longo da costa Portuguesa (de 1896 a 1907), D Carlos recolheu uma importantecolecção zoológica, com enorme importância histórica e científica. Para além do seu valor biológico, esta colecção foi enriquecida pelas inúmeras observações pessoaisde D Carlos, acerca de alguns aspectos da ecologia das espécies, a sua importância económica e os respectivos métodos de pesca utilizados, assim como pelosdesenhos e aguarelas realizadas pelo Rei.D Carlos teve ainda um importante papel como divulgador da ciência, tendo organizado inúmeras exposições nacionais e internacionais, representativas da diversidadebiológica da costa portuguesa.  As actividades foram desenvolvidas para serem implementadas em sala de aula e no Aquário Vasco da Gama. Nas actividades antes da visita (tarefa inicial de orientação), os estudantesanalisam dois excertos do diário do Rei relativos à campanha oceanográfica de 1897, bem como os respectivos relatórios elaborados em laboratório, com o objectivo de discutir diferentesformas de realizar relatórios científicos e de comparar diferentes métodos de colheita e preservação de espécimes biológicos. No Aquário, os estudantes participam em dois workshops, umrelacionado com a classificação biológica e outro com o desenho por observação. Na actividade após a visita (tarefa final de consolidação), os estudantes analisam excertos de textos de umoceanógrafo contemporâneo, Luiz Saldanha, sobre o trabalho do Rei como oceanógrafo e que reflectem o contexto histórico da época, com o objectivo de discutir e reflectir acerca da formacomo se desenvolve o conhecimento científico. 5. Contexto histórico e filosófico, incluindo a natureza da ciência No início do séc. XX, o estudo do mar estava a dar os seus “primeiros passos”. Por exemplo, a vida a grandes profundidades não era aceite pela comunidade científica,mesmo na presença de inúmeras evidências a seu favor, devido ao trabalho de Edward Forbes em 1841 no Mar Egeu. De acordo com Forbes, não poderia existir vida aprofundidades superiores a 660m devido à ausência de luz e às baixas temperaturas, características típicas das grandes profundidades (“teoria da zona azóica”). Oscientistas estavam tão convencidos desta ideia errada, que Barbosa du Bocage, outro Português dedicado ao estudo do mar, ao descrever uma nova espécie capturadapor pescadores locais, em 1864, não referiu que esta tinha sido recolhida a uma profundidade superior a 660m. Apenas 7 anos mais tarde, em 1871, é que foi reveladaessa informação, após terem surgido numerosas evidências similares em todo o mundo. Algumas dessas evidências foram obtidas em Portugal, onde pescadores deSetúbal e de Sesimbra costumavam capturar tubarões a cerca de 1200m de profundidade.D Carlos de Bragança, Rei de Portugal de 1889 a 1908, dedicou-se ao estudo do mar, tendo-se preocupado em acumular dados de uma forma sistemática. Durante os12 anos de campanhas oceanográficas realizadas ao longo da costa Portuguesa, o Rei coligiu um rico inventário da fauna costeira Portuguesa. D Carlos fez tambémnumerosas observações pessoais, acerca da distribuição geográfica, do comportamento, e do valor económico das espécies capturadas, assim como dos métodosutilizados na sua captura. Além disso, realizou também inúmeros desenhos e aguarelas que ilustram os espécimes biológicos e os fenómenos naturais.D Carlos teve também um importante papel como divulgador da ciência para o público em geral. Organizou inúmeras exposições, nacionais e internacionais, onde foramapresentados os espécimes biológicos capturados e os instrumentos oceanográficos utilizados (ex. 1897, Museu de Ciência de Londres; 1898, Aquário Vasco da Gama;1902 e 1903-1904, Museu de Ciência do Porto; 1904, Sociedade de Geografia de Lisboa; 1906, Museu de Ciência de Milão). Alguns dos espécimes recolhidos foram Rei D Carlos, um naturalista oceanógrafo - hipstwikihttp://hipstwiki.wikifoundry.com/page/Rei+D+Carlos,+um+naturalist...1 of 417-02-2014 02:29  enviados para o Museu Natural de Paris e de Londres.O legado de D Carlos é notável, não só pelo conhecimento científico que representa, como pela inovação metodológica desenvolvida, tendo cruzado uma abordagemnaturalista através da ilustração científica, com uma abordagem experimental através de um conjunto de procedimentos de recolha testados de uma forma sistemática.Os cadernos com os desenhos e aguarelas, com as notas de campo, as informações e dados recolhidos, assim como a colecção zoológica e os instrumentos utilizadosdurante as campanhas oceanográficas lideradas pelo Rei, fazem parte da exposição permanente do Aquário Vasco da Gama. O Aquário Vasco da Gama é uma instituição científica e pedagógica, que abriu as suas portas ao público em 1898, durante o 4º centenário da celebração da descoberta do caminho marítimopara a Índia pelo navegador Vasco da Gama. Cem anos mas tarde, o Aquário continua a desempenhar um papel fundamental na divulgação da biologia aquática em Portugal. 6. Público-alvo, relevância currícular e benefício didáctico  As actividades são dirigidas a estudantes de Biologia do Ensino Secundário, com idades compreendidas entre 15 e 18 anos (10º e 11º anos lectivos), e exploram osseguintes temas curriculares: diversidade biológica, sistemática, e natureza da actividade científica.Os objectivos gerais de aprendizagem são:Conhecimento substantivo e processualDesenvolver um conhecimento aprofundado acerca da diversidade da fauna costeira PortuguesaCompreender a importância da observação e do registo de dados em BiologiaCompreender a importância da ilustração científica no estudo dos organismos vivosCompreender a importância da classificação biológica e a utilização das chaves dicotómicasConhecer o trabalho do Rei D Carlos como oceanógrafoContactar directamente com os documentos históricos srcinaisConhecimento epistemológicoDesenvolver um conhecimento aprofundado acerca da natureza da ciênciaCompreender as interacções entre ciência e sociedadeCompreender a forma como os cientistas trabalhamCompreender a natureza transitória do conhecimento científicoComunicaçãoUtilizar linguagem científica Analisar e interpretar fontes diferentes de informação Apresentar e discutir diferentes ideiasUtilizar as novas tecnologias para a pesquisa e apresentação de informaçãoRaciocínioResolver problemasInterpretar dadosFazer inferênciasEvidenciar possíveis interacções AtitudesCuriosidadePerseverançaSentido estéticoCriatividadeRespeito pela evidênciaPensamento críticoCapacidade de observaçãoRigor científicoRespeito pela opinião dos outrosTrabalho colaborativo Os procedimentos de avaliação do projecto (observação, questionários, entrevistas, análise das fichas de actividade) evidenciaram que os estudantes se sentiram motivados e envolvidos aolongo de todas as actividades. Os estudantes consideraram o projecto popular e relevante para a aprendizagem das ciências. Todos eles assinalaram que o projecto foi importante não só paraa aquisição de conhecimentos, mas também para a compreensão da natureza da ciência. Todos os estudantes referiram que se sentiram extremamente motivados pelas actividades, tendoreconhecido a necessidade de serem implementadas mais actividades deste tipo nas aulas de ciências. A maioria considerou que a vertente histórica foi importante para a compreensão acercada natureza da ciência. Finalmente, os estudantes admitiram que as actividades contribuíram para alterar a sua visão acerca do desenvolvimento do conhecimento científico, nomeadamente ofacto de que este está em constante evolução e que sofre inúmeras influências, assim como da sua visão acerca dos processos científicos. 7. Actividades, métodos e recursos para a aprendizagem  Aula de orientação para o tema (tarefa inicial)Os estudantes analisam dois excertos do diário do Rei relacionados com a campanha oceanográfica de 1897, e o respectivo relatório realizado em laboratório, com oobjectivo de:Discutir diferentes formas de reportar dados científicos, tanto no campo como em laboratório;Lidar com diferentes métodos de colheita, preparação e preservação de espécimes biológicos, e comparar os métodos utilizados no passado com os actuais;Reflectir acerca das características de personalidade dos cientistas.1º Workshop no Aquário:Os estudantes são introduzidos ao trabalho do Rei como oceanógrafo, à sua colecção e métodos que utilizou. Além disso, comparam os métodos de classificaçãobiológica actual com os métodos desenvolvidos pelo Rei. Na sessão prática, classificam um grupo de organismos marinhos, presentes na exposição do aquário, atravésde uma chave dicotómica.2º Workshop no Aquário:Os estudantes são introduzidos ao tema da ilustração biológica e às técnicas de desenho por observação. Nasessão prática, observam e desenham alguns organismos presentes na exposição do aquário.Ambos os workshops têm uma sessão teórica e uma sessão prática. Aula de consolidação das aprendizagens (tarefa final)Os estudantes analisam excertos de textos de um oceanógrafo contemporâneo, Luiz Saldanha, acerca do trabalho do Rei como oceanógrafo, assim como acerca docontexto científico da época, com o objectivo de reflectir acerca da construção do conhecimento científico e da importância da publicação científica na validação dessemesmo conhecimento.  As principais estratégias utilizadas nas actividades são o trabalho colaborativo, a discussão, a interpretação de documentos históricos, a pesquisa na Internet, a análise e contraste de diferentes Rei D Carlos, um naturalista oceanógrafo - hipstwikihttp://hipstwiki.wikifoundry.com/page/Rei+D+Carlos,+um+naturalist...2 of 417-02-2014 02:29  Share thisideias (sistemas de classificação) e métodos de recolha biológica, a utilização de chaves dicotómicas, a observação e descrição de organismos vivos, o desenho por observação. 8. Obstáculos ao ensino e aprendizagem  A principal dificuldade prende-se com a análise dos documentos históricos devido ao facto de serem escritos em Português antigo (séc. XIX). 9. Competências pedagógicas Os professores são solicitados a:Supervisionar o trabalho colaborativo dos alunos, que envolve análise de documentos, discussão e pesquisa na Internet; Actualizar o seu conhecimento acerca da história da ciência (em particular relacionada com o tópico em estudo) e acerca da integração da história da ciência noensino das ciências; Dialogar com os responsáveis do Aquário de forma a promover uma integração adequada das actividades a decorrer em sala de aula com as actividades a decorrer no aquário. 10. Dados da pesquisa Foram aplicados inúmeros métodos de recolha de dados com o objectivo de avaliar a efectividade e aplicabilidade das actividades propostas. Todas as sessões foramaudio- e video-gravadas. O comportamento dos estudantes foi registado por um dos investigadores num contexto de observação participante. Todos os documentosproduzidos pelos alunos foram sujeitos a análise de conteúdo.  Aquando da conclusão das actividades, os estudantes responderam a um questionário com o objectivo de compreender as suas percepções relativamente às actividades desenvolvidas. Oquestionário foi adaptado de um outro questionário desenvolvido no âmbito de um projecto Europeu, PARSEL- Popularity and Relevance of Science Education for Scientific Literacy(www.parsel.eu). O questionário contêm 20 questões, tendo sido utilizada uma escala de Likert de 5 itens para registar a intensidade da resposta. Os itens variaram entre o valor 1, totalmentede acordo, e o valor 5, totalmente em desacordo. As questões foram organizadas segundo 5 dimensões: perspectiva geral acerca do ensino das ciências e da importância do ensino da históriade ciência; popularidade das actividades; percepção acerca da relevância da actividade de desenho biológico; percepção acerca da relevância da integração da história da ciência nestasactividades; percepção acerca da promoção de competências afectivas e cognitivas pelas actividades desenvolvidas. Os dados do questionário foram submetidos a uma análise estatísticadescritiva. Além do questionário, um estudante de cada grupo (n=5), escolhido pelo grupo, foi entrevistado com o objectivo de aprofundar a compreensão acerca das suas perspectivas relativamente àsseguintes dimensões: popularidade e relevância deste tipo de trabalho para a aprendizagem das ciências; relevância do tema científico abordado; relevância da abordagem histórica e o seuimpacto nas ideias acerca da natureza da ciência. As entrevistas foram audio- e vídeo-gravadas, tendo sido posteriormente transcritas e sujeitas a análise de conteúdo. As categorias de análiseutilizadas emergiram pela procura dos diferentes significados presentes nas respostas, tendo no entanto sido baseadas no contexto teórico que fundamentou o próprio estudo. 11. Desenvolvimento professional posterior  Sites:http://aquariovgama.marinha.pt/PT/Pages/homepage.aspxReferências:[1] Bragança, C. de (1897). Yacht Amélia . Campanha oceanográfica de 1896. Imprensa Nacional, Lisboa, 20 pp. [2] Bragança, C. de (1899). Pescas marítimas, I - A pesca do atum no Algarve em 1898. Resultados das Investigações cientificas feitas a bordo do yacht “Amélia” e sob a direcção de D. Carlosde Bragan ça. Imprensa Nacional, Lisboa.[3] Bragança, C. de (1902). Rapport préliminaire sur les Campagnes de 1896 à 1900. I - Introduction, Campagne de 1896. Bulletin des campagnes scientifiques sur le yacht “Amélia” par D.Carlos de Bragança . Imprensa Nacional, Lisboa.[4] Bragança, C. de (1904). Ichthyologia. II - Esqualos obtidos nas costas de Portugal durante as campanhas de 1896 a 1903. Resultados das Investigações cientificas feitas a bordo do yacht “Amélia” e sob a direcção de D. Carlos de Bragança . Imprensa Nacional, Lisboa. [5] Braganca, C. de (1957). Diário Náutico Yatch Amelia . Marinha Portuguesa, Lisboa. [6] Carpine_Lancre, J. and Saldanha, L. (1992). Dom Carlos I Roi de Portugal, Albert Ier Prince de Monaco. Souverains océanographes . Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa. [7] Carvalho, A. and Fernandes, C.V. (coord) (2007). Mar! - Obra artística do Rei D Carlos . Sete Mares, Estoril. [8] Deacon, M. (1997). British Marine scientists in Portuguese seas 1868-1870: 65-110 In: Saldanha, L. & P. Ré (eds), One hundred years of Portuguese Oceanography. In the footsteps of KingCarlos de Bragança. Publicações avulsas do Museu Bocage (nova série) , 2.. [9] Magalhães Ramalho, M. and Antunes, M. E. (eds) (1996). D Carlos de Bragança – A paixão do mar  . Parque Expo 98, Fundação da Casa de Bragança, MarinhaPortuguesa, Lisboa.[10] Markham, C.R. (1908). Oceanographic researches of His Late Majesty King Carlos of Portugal. The Geographical Journal  , 31, 514-518.URL:books.google.com/books?id=_qcMAAAAIAAJ&pg=PA514 [11] Rice, A. (1997). The Lisbon earthquake of 1755 and the development of oceanography: 111- 124. In : Saldanha, L. & P. Ré (eds), One hundred years of Portuguese Oceanography. In thefootsteps of King Carlos de Bragança. Publicações avulsas do Museu Bocage (nova série) , 2.[12] Ruivo, M. (1957). D. Carlos de Bragança Naturalista e Oceanógrafo . Conferência, Fundação da Casa de Bragança.[13] Saldanha, L. (1980). King Carlos of Portugal, a Pioneer in European Oceanography: 606-613. In : Sears, M & D. Merriman (eds.). Oceanography  , The Past, Springer-Verlag. 12. Recursos escritos 1) Cenário das actividades de sala de aula, com a ficha de actividade: Actividade de orientação (Actividade pré-aquário) Actividade de consolidação (Actividade pós-aquário)2) Workshops no Aquário (Breve descrição dos workshops a serem desenvolvidos no Aquário) 3) Questionário aos alunos lopescoelhoLatest page update: made by lopescoelho , Jul 20 2010, 9:00 AM EDT (about this u   pdate - complete history) Keyword tags: BiologiaD CarlosHistória da Oceanografia Sê o primeiro entre os teus amigos agostar disto. GostoGosto Rei D Carlos, um naturalista oceanógrafo - hipstwikihttp://hipstwiki.wikifoundry.com/page/Rei+D+Carlos,+um+naturalist...3 of 417-02-2014 02:29  Threads for this page There are no threads for this page. Be the first to start a new thread. Rei D Carlos, um naturalista oceanógrafo - hipstwikihttp://hipstwiki.wikifoundry.com/page/Rei+D+Carlos,+um+naturalist...4 of 417-02-2014 02:29
Related Search
Similar documents
View more...
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks