PRODUÇÃO COLABORATIVA MEDIADA PELOS E-GROUPS PARA A DISCIPLINA DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Description
PRODUÇÃO COLABORATIVA MEDIADA PELOS E-GROUPS PARA A DISCIPLINA DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Please download to get full document.

View again

of 20
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Information
Category:

Histology

Publish on:

Views: 2 | Pages: 20

Extension: PDF | Download: 0

Share
Tags
Transcript
  PRODUÇÃO COLABORATIVA MEDIADA PELOS  E-GROUPS   PARA A DISCIPLINA DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Fabiane Sarmento Oliveira Fruet - UFPelMiguel Alfredo Orth - UFPelClaudia Mara Stona - UFSM RESUMO  Neste trabalho, apresenta-se a contribui!o dos e-groups  para a produ!o colaborativa em rede, na disciplina de Matem"tica, com estudantes do #$ ano da %scola %stadual de %nsino Fundamental M"rio &elu' em S!o Sep( - )S* %ste estudo foi desenvolvido por+ue se percebeu +ue, na referida escola, a nternet n!o era acessada para atividades escolares entre os estudantes* &evido a isso, nessa turma, foram criados grupos de discusses com mediados pelos e-groups  em torno de um mesmo assunto referente . disciplina de Matem"tica* A pes+uisa teve como ob/etivo o aprimoramento do ensino-aprendi0agem por meio da intera!o entre professor-estudantes e estudantes-estudantes e da integra!o do computador conectado na nternet no espao escolar* Com base na concep!o metodol1gica de investiga!o-a!o educacional, foi poss2vel observar +ue as listas de discusses  potenciali0aram o processo pedag1gico, nessa disciplina, visto +ue proporcionaram benef2cios para os envolvidos* Como por e3emplo, o desenvolvimento de atitudes colaborativas +ue viabili0aram a reorgani0a!o e amplia!o do saber* Al(m disso, esses grupos podem ser considerados uma estrat(gia did"tica de apoio .s aulas  presenciais no %nsino Fundamental* PALAVRAS-CHAVE:  4ecnologias da nforma!o e da Comunica!o5 &isciplina de Matem"tica5 e-groups * CONSIDERAÇÕES INICIAIS  Neste s(culo 66, utili0ar as tecnologias e trabalhar em e+uipe fa0 parte das de0 compet7ncias b"sicas para a vida em sociedade 8P%))%NOU&, 9:::;* Segundo a <ei de &iretri0es e =ase da %duca!o 8>##?;, o %nsino Fundamental tem por ob/etivo, em seu artigo @9, a forma!o b"sica do cidad!o, mediante a compreens!o dos recursos tecnol1gicos*  /ustamente devido . necessidade de desenvolver essas compet7ncias em sala de aula somadas com o avano das 4ecnologias da nforma!o e da Comunica!o 84C; +ue surgem oportunidades de integrar o computador conectado na nternet no conte3to escolar, tornando-se uma importante ferramenta pedag1gica* No meio educacional, a nternet como recurso pedag1gico possibilita mudanas dentro da escola, e3trapolando os limites da sala de aula, por meio do acesso instantBneo a portais de  9  busca, os +uais disponibili0am artigos, imagens, sons, v2deos organi0ados em rede por  palavras-chave* sso facilita o encontro de informaes necess"rias e interliga mltiplas refer7ncias* &e acordo com Moran 8>##D;, a nternet apresenta poss2veis usos pedag1gicos +uer na divulga!o do conhecimento, na pes+uisa, no apoio ao ensino e na comunica!o interpessoal entre os su/eitos da a!o educativa*Mas, apenas incluir recursos tecnol1gicos em atividades escolares n!o resulta automaticamente na melhoria de aprendi0agem* Saber us"-los e tornar a escola significativa ( um dos grandes desafios pedag1gicos* Sendo assim, ( essencial +ue o professor bus+ue maneiras de como organi0ar atividades mediadas pelas ferramentas tecnol1gicas +ue instiguem e faam sentido para os estudantes, dei3ando a aula dinBmica e participativa, a fim de +ue se interessem pelo assunto trabalhado de modo a condu0i-los ao processo de constru!o do conhecimento* O professor precisa apro3imar-se do universo dos estudantes* &entre as 4C inseridas no cotidiano da sociedade, destaca-se a nternet, atrav(s de recursos +ue combinam intera!o e publica!o por meio de blogs , miniblogs , chats  e correios eletrEnicos (e-mails)  entre outros, permitindo aos estudantes +ue se tornem participantes ativos, capa0es de buscarem informaes e transform"-las em conhecimento* Atualmente, utili0ar um processador de te3to e navegar na rede /" ( rotina pela maioria dos estudantes, sendo +ue estes a utili0am com mais fre+u7ncia para entretenimento e relaes sociais*Partindo da ideia de +ue ( poss2vel os professores e, em particular, o professor de Matem"tica integrar as tecnologias contemporBneas nas pr1prias aulas, por meio da concep!o metodol1gica investiga!o-a!o educacional 8F)U%4, 9:>:;, reali0ou-se uma  pes+uisa a fim de investigar as potencialidades da inser!o tecnol1gica, mais especificamente, de listas ou grupos de discuss!o, conhecidos por e-groups , no processo ensino-aprendi0agem com estudantes do #$ ano da %scola %stadual de %nsino Fundamental M"rio &elu' em S!o Sep(  )S*Os e-groups  s!o ferramentas de comunica!o ass2ncronas gerenci"veis pela nternet +ue permitem a troca de mensagens atrav(s de listas de e-mails entre todos os membros de um grupo em torno de um mesmo ob/etivo e com a supervis!o de um mediador ou administrador do grupo* Nesse espao, ( poss2vel discutir assuntos em comum relativos aos contedos trabalhados em aulas presenciais, produ0ir te3tos de forma colaborativa 8privilegiando a  pes+uisa;, interagir e personali0ar os estudos em diversos espaos de tempos 8presenciais e virtuais;*  @ Assim, inicialmente, na turma investigada, foram reali0adas discusses referentes . inform"tica, ao computador e . nternet por meio de um trabalho colaborativo mediado por listas de discusses* 4odas essas ferramentas inseridas como recursos did"ticos em prol da %duca!o* Posteriormente, procurou-se desfa0er a ideia de +ue a Matem"tica, tida como uma disciplina dif2cil, n!o possa ser ensinada de maneira +ue apresente sentido para a aprendi0agem do estudante e ao mesmo tempo pra0erosa, ade+uando as tecnologias 8computador conectado na nternet; para aprimorar o ensino-aprendi0agem no %nsino Fundamental, a fim de abrir novos hori0ontes em busca do conhecimento* RECURSOS DA INFORMÁTICA E O ENSINO-APRENDIZAGEM Os recursos da inform"tica /" fa0em parte do dia a dia da maioria dos estudantes, o +ue vai al(m de us"-los en+uanto simples ferramenta de trabalho* &e fato, eles v7m contribuindo  para o relacionamento social em +ue permite apro3imar pessoas distantes geogr"fica ou culturalmente* %sses avanos tecnol1gicos inclusive possibilitam +ue, muitos professores recorram .s mesmas, no intuito de utili0ar as suas potencialidades em seu fa0er did"tico-pedag1gico* Com isso, comeam a surgir novos estilos de ensino-aprendi0agem* 4amb(m surge uma pedagogia +ue favorece tanto a aprendi0agem personali0ada, +ue se baseia em talentos e em interesses  pessoais de cada aprendi0, como possibilita +ue a /uventude se torne respons"vel pela pr1pria aprendi0agem e aprenda coletivamente em rede, onde os estudantes s!o vistos como parceiros na constru!o do conhecimento* Nesse sentido, segundo <(v' 89:::, p*>GD;, Ho professor ( incentivado a tornar-se um animador da intelig7ncia coletiva de seus grupos de estudantes em ve0 de um fornecedor direto de conhecimentoI* Portanto, acredita-se ser necess"rio encontrar solues +ue utili0em estrat(gias capa0es de ampliar o esforo pedag1gico dos profissionais da %duca!o* Para atingir as finalidades  propostas pelo autor, professores poderiam adotar em suas aulas, n!o somente editores de te3tos e  softwares  educativos para la0eres, mas tamb(m reali0ar e vivenciar e3perimentos, e3plorar hiperte3tos, correios eletrEnicos, simulaes digitais, aplicativos de v2deos,  blogs  e reali0ar pes+uisas de informa!o por meio da nternet*  J Farah 89::#; afirma +ue, na esfera da %duca!o, a escola passa por uma poss2vel reforma de ensino e n!o basta introdu0ir nos bancos escolares ferramentas informati0adas como instrumento de renova!o educacional* O autor tamb(m enfati0a +ue As aulas convencionais, onde algu(m supostamente HensinaI en+uanto outros HaprendemI, /" n!o conseguem manter a aten!o dos /ovens, +ue t7m . disposi!o recursos multim2dias interativos capa0es de estimular suas potencialidades de maneira muito mais atraente e interessante* 8FA)AK, 9::#, p*>D9->D@;* Para isso, concorda-se com Mercado e Lullo 89::J; +uando afirmam +ue a nternet ( um ambiente ideal para incentivar os estudantes a assumirem a responsabilidade pelo seu  pr1prio aprendi0ado* Os autores complementam ao destacar +ue Hincorporar a nternet ao aprendi0ado em sala de aula propicia muito mais oportunidades para estruturarem seu pr1prio aprendi0ado do +ue a+uelas dispon2veis em salas de aulas tradicionais*I 8M%)CA&O5 LU<<OL, 9::J, p*>G#;*Freitas, em entrevista . Funda!o )oberto Marinho, segue o mesmo racioc2nio e menciona +ue Ha nternet e as redes sociais contribuem muito para a constru!o colaborativa do conhecimento, pois elas permitem +ue pessoas discutam, argumentem e cheguem .s concluses em con/untoI* Nesse sentido, a autora salienta +ue os professores est!o sendo desafiados a Hcolocar o uso do computador e da nternet nas suas metodologias de trabalhoI*4amb(m vale lembrar +ue, no ambiente escolar, o uso da nternet pode ir al(m da  pes+uisa de informa!o, visto +ue apresenta grande potencial para a comunica!o entre as  pessoas* Com a nternet, os professores aprendem ao mesmo tempo em +ue os estudantes, atuali0ando continuamente seus saberes assim como suas compet7ncias pedag1gicas* Sobral 89::9; defende a aprendi0agem colaborativa +uando menciona +ue A nternet combina perfeitamente com os rumos da %duca!o por ser ade+uada . nova rela!o aluno-professor, centrada no aluno e na a!o deste com o su/eito e +ue re+uer do professor +ue se torne um companheiro, mais e3periente, na /ornada do conhecimento* Al(m de permitir +ue o professor tamb(m aprenda com o aluno, a nternet facilita a motiva!o deste, promovendo o trabalho em grupo e a troca dinBmica de informaes com os colegas* 8SO=)A<, 9::9, p*>G; &e acordo com Meira 89::G;, Ha aprendi0agem re+uer motiva!oI* Para +ue a aprendi0agem ocorra ( preciso articular processos pedag1gicos motivadores +ue fa0em sentido ao estudante* Nessa perspectiva, conforme destaca Moran 8>##J;, os meios de comunica!o, em especial os audiovisuais, tamb(m poder!o a/udar a desenvolver habilidades  G sinest(sicas, espao-temporais e criadoras* %les combinam a dimens!o espacial com a sinest(sica, facilitando a aprendi0agem* Fala-se assim, de uma %duca!o para a comunica!o* %duca!o para a comunica!o re+uer uma busca de novas formas de e3pressar contedos e de novas relaes entre pessoas e grupos* Com o computador conectado na nternet presente na %duca!o escolar, observa-se +ue o professor ( fundamental para +ue o estudante adapte cada habilidade a um determinado momento hist1rico e a cada situa!o de aprendi0agem bus+ue novos meios para torn"-la mais completa e colaborativa* Ser", pois, necess"rio +ue, cada ve0 mais, o docente integre os recursos tecnol1gicos de maneira significativa ao processo ensino-aprendi0agem escolar* A APRENDIZAGEM COLABORATIVA E AS LISTAS DE DISCUSSÕES (  E-GROUPS  ) Segundo 4orp 89::9 apud )AMOS, 9::D;, Ha colabora!o pressupe uma tarefa mtua na +ual os alunos trabalham em con/unto para produ0ir algo +ue nenhum deles poderia  produ0ir individualmenteI* O mesmo autor afirma +ue Hdentro de um ambiente de trabalho constitu2do por computadores aparecem oportunidades para +ue a colabora!o aconteaI*A participa!o em listas e f1runs de discuss!o na escola permite aos estudantes uma  boa intera!o com todos os componentes do seu grupo ao +ue se refere . troca de informaes mediadas pelo professor e tamb(m +uanto ao +ue se refere . resolu!o con/unta de situaes- problemas* &entre as discusses apresentadas, a aprendi0agem colaborativa mediada pelo computador conectado na nternet favorece o desenvolvimento de habilidades e valores, conforme afirmam Mercado e Lullo 89::J;* ntegrar a utili0a!o da nternet no curr2culo de um modo significativo e incorpor"-la .s atuais pr"ticas de sala de aulas bem sucedidas, numa aprendi0agem colaborativa,  poder" fornecer um conte3to aut7ntico em +ue os alunos desenvolvem conhecimento, habilidades e valores* 8M%)CA&O5 LU<<OL, 9::J* p*>GD; &e modo geral, nesse processo, os envolvidos se comportam de forma bastante colaborativa, sempre +ue o tema em pauta atenda a algum ob/etivo de interesse comum* Prado 89::G; complementa ao destacar +ue para aprender de forma colaborativa ( necess"rio desenvolver compet7ncias interpessoais*  Nessa situa!o de aprendi0agem, o aluno precisa selecionar informaes significativas, tomar decises, trabalhar em grupo, gerenciar confronto de ideias,
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks