Concordância entre resultados de exames laboratoriais autorreferidos e obtidos em prontuários de portadores de diabetes mellitus.

Description
Concordância entre resultados de exames laboratoriais autorreferidos e obtidos em prontuários de portadores de diabetes mellitus.

Please download to get full document.

View again

of 8
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Information
Category:

Experimental Psychology

Publish on:

Views: 2 | Pages: 8

Extension: PDF | Download: 0

Share
Transcript
  Este estudo objetivou verificar a concordância entre resultados de exames laboratoriais autorreferidos e resultados contidos em prontuários de portadores de diabetes mellitus. Trata-se de um estudo transversal realizado em unidades de saúde da família no município de Londrina-PR nas quais foram entrevistados 337 portadores de diabetes mellitus que tiveram seus prontuários analisados posteriormente ao consentimento dos indivíduos. As perguntas contidas no instrumento de coleta de dados eram referentes a dados socioeconômicos, demográficos e resultados de exames registrados nos prontuários e autorreferidos. O período de coleta ocorreu entre dezembro de 2008 e marco de 2009. Os dados descritivos foram analisados no programa Epi Info 3.5.1 e o cálculo do coeficiente de concordância de kappa foi realizado no programa R versão 2.11.1. Entre os resultados referentes à concordância entre as informações, a concordância foi boa no colesterol (k=0,623), pobre na glicemia (k= 0,394) e ausente nos exames de HDL, LDL e no triglicerídeos (k < 0). Os resultados demonstraram pouco conhecimento da população portadora de diabetes em relação ao controle metabólico e baixa concordância entre os resultados de exames laboratoriais autorreferidos e resultados contidos em prontuários. Resumo CONCORDÂNCIA ENTRE RESULTADOS DE EXAMES LABORATORIAIS AUTORREFERIDOS E OBTIDOS EM PRONTUÁRIOS DE PORTADORES DE  DIABETES MELLITUS  1. Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva. Docente do Departamento de Saúde coletiva da Universidade Estadual de Londrina.2. Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do Docente do Departamento de Saúde coletiva da Universidade Estadual de Londrina.3. Enfermeira. Doutora em Saúde Pública. Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina (PR).4. Matemática. Doutora em Estatística. Docente do Departamento de Estatística da Universidade Estadual de Londrina (PR).5. Farmacêutico. Doutor em Saúde Coletiva. Docente do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Londrina (PR). Agreement Between Self-reports Laboratory Tests Results and Results From Records the Patients With Diabetes Mellitus  Maira Sayuri Sakay Bortoletto 1 , Maria do Carmo Lourenço Haddad 2 , Selma Maffei de Andrade 3 , Tiemi Matsuo 4 , Alberto Durán González 5 CONTATO: Maira Sayuri Sakay Bortoletto | Universidade Estadual de Londrina | Rua José Manoel de Souza, 37, casa 7 - Vale dos Tucanos | Londrina | Paraná | CEP 86046-541 | E-mail: mairabortoletto@hotmail.com REVISTA ESPAÇO PARA A SAÚDE | Londrina | v. 14 | n. 1 e 2 | p. 33-40 | dez. 2013 33  Bortoletto MSS, Haddad MCL, Andrade SM, Matsuo T, González AD REVISTA ESPAÇO PARA A SAÚDE | Londrina | v. 14 | n. 1 e 2 | p. 33-40 | dez. 2013 34 This study aims to verify the correlation between self-reported laboratory tests results and results contained in diabetics patients records. This is a cross-sectional study realized in family health units in Londrina-PR in which were interviewed 337 patients with diabetes mellitus who have had their records reviewed after individuals consents. The questions were related to demographic, socioeconomic and test results from medical records and self-reported. The collection period was between december 2008 and march 2009. Descriptive data were analyzed using Epi Info 3.5.1 and the calculation of kappa agreement coefficient, was performed in R program version 2.11.1. In the correlation between the informations was good in cholesterol (k = 0.623), poor in blood glucose (k = 0.394) and absent in the examination of HDL, LDL and in triglycerides (k < 0).The results demonstrated poor knowledge of the diabetic population in relation to metabolic control and low agreement between self-reported laboratory test results and results obtained in patients records. KEYWORDS: Validity of tests, laboratory test, blood glucose, cholesterol, triglycerides, diabetes mellitus. Introdução O Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônica universal e destaca-se por suas altas taxas de morbidade e mortalidade e suas repercussões sociais e econômicas configurando-se como um dos principais problemas de saúde pública na atualidade 1-4 A sua prevalência aumenta exponencialmente em vários países e prevê-se que, em 2030, 366 milhões de indivíduos sejam portadores de DM, dos quais dois terços habitarão países em desenvolvimento 3 . As projeções para esta doença e os fatores associados ao seu crescimento justificam a crescente preocupação com os custos gerados por ela, seja para o sistema de saúde ou para o portador de diabetes 5-6 .Dessa forma, destaca-se a importância dos estudos realizados com intuito de identificar os fatores associados ao controle e as complicações do DM, sejam eles diretamente relacionados ao indivíduo ou ao contexto no qual se dá o cuidado ao portador de diabetes 5, 7-13 .Entre os meios de se avaliar o controle da doença encontra-se a avaliação metabólica mensurada pelo resultado de exames laboratoriais. Resultados esses que são estudados por meio de valores obtidos ora com a realização de exames laboratoriais ou pela análise de dados secundários 5,9 , ora pelo relato dos indivíduos com DM 14-15 .A realização dos exames laboratoriais durante uma pesquisa eleva o custo, aumenta a sua duração e, em algumas situações, limita a escolha do delineamento e restringe o tamanho amostral. Por outro lado, autores 16  reforçam que em pesquisas que consideram a informação autorreferida existem algumas fragilidades como o viés de memória, a influência do acesso ao serviço de saúde, além de sofrer interferências dependendo do tipo de enfermidade estudada. Diante deste fato as informações autorreferidas obtidas em entrevistas diretas ou por telefone têm sido utilizadas frequentemente na avaliação da condição de saúde da população 17-18 . Abstract PALAVRAS-CHAVE: Validade dos testes, testes laboratoriais, glicemia, colesterol, triglicerídeos, diabetes mellitus.  Concordância entre resultados de exames laboratoriais autorreferidos e obtidos em prontuários de portadores de diabetes mellitus REVISTA ESPAÇO PARA A SAÚDE | Londrina | v. 14 | n. 1 e 2 | p. 33-40 | dez. 2013  35 Dessa forma, estudos que busquem identificar a confiabilidade das informações autorreferidas são relevantes. Todavia, estudos que comparem a concordância entre resultados de exames autorreferidos e mensurados ou verificados em fontes secundárias são escassos. No entanto, em relação às medidas antropométricas, estudos 19-21  demonstram elevada concordância entre as informações relatadas e mensuradas. Todavia esses achados não podem ser tomados como referência para os resultados de exames laboratoriais, uma vez que o peso e altura são informações que a população, de maneira geral, tem acesso facilitado, enquanto as informações de controle metabólico dependem de diversos fatores dificultadores. Em face do exposto, esse estudo objetiva verificar a concordância entre informações autorreferidas e de informações extraídas de prontuários de pacientes portadores de diabetes, referentes aos resultados de exames laboratoriais de portadores de DM. Materiais e Métodos Trata-se de um estudo transversal, individuado e observacional, realizado em duas unidades de saúde da família do município de Londrina. A escolha das unidades ocorreu pelos seguintes critérios: apresentar o maior número de portadores de DM cadastrados entre todas as unidades de saúde do município, realizar assistência ao portador de DM conforme o protocolo municipal de saúde do adulto e apresentar semelhanças populacionais. A população de estudo foi constituída pelos portadores de DM tipo 2 cadastrados no sistema de informação da atenção básica, com prontuários e acompanhados nessas unidades de saúde. A população estudada foi composta pela totalidade de indivíduos portadores de DM tipo 2 desses serviços (362 indivíduos). Os dados foram obtidos mediante entrevista e preenchimento de um formulário e foram coletados pela pesquisadora e quatro alunas de graduação de enfermagem previamente treinadas. Após o consentimento dos indivíduos, foi utilizado um instrumento de coleta de dados com campos para dados da entrevista (socioeconômicas e demográficas) e dados dos prontuários dos pacientes (resultados de exames laboratoriais). A coleta de dados foi realizada entre dezembro de 2008 e março de 2009 nas referidas unidades de saúde, após a aprovação do comitê de ética em pesquisa da Universidade Estadual de Londrina.Entre as variáveis do estudo socioeconômicas e demográficas; sexo (feminino/masculino), idade (anos completos para posterior categorização), situação conjugal (com e sem parceiro), cor de pele (branca, preta, parda e outras), classe econômica (segundo o critério de consumo da ABEP que classifica o consumo em classes de A a E) 22  e escolaridade (anos completos de estudo); resultados de exames laboratoriais (glicemia de  jejum, colesterol total, HDL colesterol, LDL colesterol e triglicerídeos) registrados nos prontuários nos últimos seis meses, em caso de mais de um registro nesse intervalo de tempo optou-se pelo último registro, já para a coleta da informação referida pelos pacientes com diabetes perguntou-se o valor do último resultado de exame. Para análise, os dados de resultados de exames laboratoriais foram categorizados como “adequados” e “inadequados” de acordo com os parâmetros apresentados pela America Diabetes Association 1  e pela Sociedade Brasileira de Diabetes 23  nos valores apresentados para o controle do diabetes.Para entrada e análise dos dados foi utilizado o programa Epi Info versão 3.5.1 e, posteriormente, no programa R versão 2.11.1. foi calculado o coeficiente Kappa (k) entre as variáveis relacionadas aos resultados de exames laboratoriais. A interpretação do coeficiente foi realizada mediante a seguinte classificação: excelente concordância se os valores de k forem iguais ou superiores a 0,75, boa concordância para valores entre 0,41 e 0,74, fraca concordância para valores iguais e menores a 0,40 e ausência de concordância para valores iguais ou menores que 0 (zero)  24 .  Bortoletto MSS, Haddad MCL, Andrade SM, Matsuo T, González AD REVISTA ESPAÇO PARA A SAÚDE | Londrina | v. 14 | n. 1 e 2 | p. 33-40 | dez. 2013 36 O coeficiente kappa foi aplicado somente nos casos em que havia registro das informações necessárias no prontuário e os entrevistados referiam os resultados dos exames laboratoriais. Resultados Dos 362 indivíduos elegíveis para o estudo foram entrevistados 337 (93,1%), pois 25 se recusaram a participar do estudo. Entre os 337 entrevistados, 165 (49,0%) eram da unidade na região oeste 172 (51,0%) da unidade na região central. Entre os portadores de DM que participaram do estudo, 201 (60,0%) eram mulheres. A idade variou de 30 a 71 anos com média de 64,6 anos, desvio padrão de 12,5 anos, mediana de 65 anos e 68,2% tinha 60 anos ou mais. Apenas 27,0% tinham oito anos ou mais de estudo e aproximadamente 68,8% referiram cor da pele branca, 63,2% tinham companheiro e 13,1% eram da classe econômica A ou B. (Tabela 1).A frequência do registro dos exames laboratoriais nos 337 prontuários e o autorreferimento sobre os mesmos encontram-se na tabela 2. Nos prontuários encontrou-se o registro da maioria dos resultados dos exames laboratoriais, com exceção LDL (7,1%). Em relação à glicemia em jejum autorreferida, aproximadamente 60% relataram o resultado, para os demais exames, menos de 50% mencionaram o resultado, com destaque para o LDL com apenas 3,6%. Tabela 1.   Distribuição dos portadores de diabetes mellitus segundo características sociodemográficas em unidades central e na região oeste, Londrina - PR, 2013. Características SexoFaixa etária(anos)EscolaridadeCor de peleSituaçãoconjugalClasse ABEP Exame Glicemiade jejumColesterolHDLLDLTriglicerídeos Feminino Masculino20 – 3940 – 5960 – 6970 ou mais< 4 anos4 - 7 anos8 anos ou maisBranca Preta/PardaOutrasCom parceiroSem parceiroA-BCD-E Prontuário 336 (99,7%)314 (93,2%)287 (85,2%)24 (7,1%)313 (92,9%) n 20113617901081221251219123278272131244423063 Autorreferido 205 (60,8%)161 (47,8%)60 (17,8%)12 (3,6%)98 (29,1%) % 60,040,05,126,732,036,237,135,927,068,823,18,163,236,813,168,218,7 Tabela 2.   Distribuição dos resultados totais de exames laboratoriais autorreferido e nos prontuários dos portadores de diabetes mellitus, Londrina - PR, 2013. Resultados Obtidos Na tabela 3 estão apresentados os resultados de exames contidos nos prontuários e autorreferidos pelos portadores de diabetes e que foram classificados em adequados e inadequados segundo a classificação de American Diabetes Association 1  e pela Sociedade Brasileira de Diabetes 23 . Entre eles os resultados nos prontuários de maior inadequação segundo tais parâmetros foram o LDL (66,6%), o triglicerídeos (67,3%), a glicemia de jejum (58,6%) e o colesterol (43,5%). A concordância bruta dos resultados adequados foi observada em 22% dos casos para a glicemia, 46% para o colesterol, 43,3% para o HDL, nenhum caso para o LDL e 8,2% para o triglicérides. A discordância mais importante em relação ao autocuidado seria o resultado inadequado e referido como adequado, o que foi observado em 8,8% para o exame da glicemia, 8,1% para o colesterol, 38,3% para o HDL, 33,3% para o LDL e 35,7% para triglicerídeos.  Concordância entre resultados de exames laboratoriais autorreferidos e obtidos em prontuários de portadores de diabetes mellitus REVISTA ESPAÇO PARA A SAÚDE | Londrina | v. 14 | n. 1 e 2 | p. 33-40 | dez. 2013  37 Na Tabela 4 são apresentados os valores dos coeficientes k  com seus respectivos intervalos de confiança de 95% e a classificação do grau de concordância segundo Paulino e Singer 24 . O coeficiente de concordância para a glicemia de Tabela 3.   Resultados dos exames laboratoriais segundo a classificação da  American Diabetes Association  e Sociedade Brasileira de Diabetes. Londrina - PR, 2013. Exame Glicemia de jejumColesterolHDLLDLTriglicerídeos INADEQUADO ADEQUADOINADEQUADO ADEQUADOINADEQUADO ADEQUADOINADEQUADO ADEQUADOINADEQUADO ADEQUADO 1024057173844 3124(49,8%)(19,5%)(35,4%)(10,6%)(5,0%)(13,3%)(33,3%)(33,3%)(31,6%)(24,5%) Coeficiente Kappa  0,394 0,623-0,129-0,500-0,258 I.C. 95% 0,262 – 0,526 0,502 – 0,745-0,405 – 0,148 -1,001 – 0,100-0,460 – 0,055 Classificação da concordância PobreBoa Ausente AusenteAusente18451374 23264-358(8,8%)(22,0%)(8,1%)(46,0%)(38,3%)(43,3%)(33,3%)-(35,7%)(8,2%) Exame GlicemiaColesterol HDLLDLTriglicerídeosInadequado Resultados Autorreferidos Adequado Tabela 4.   Distribuição dos coeficientes kappa por exame realizado dos portadores de diabetes mellitus, Londrina - PR, 2011.  jejum foi classificada como pobre com k = 0,394 (I.C. 95%: 0,262 – 0,526) e o colesterol apresentou boa concordância com coeficiente k = 0,623 (I.C. 95%: 0,502 a 0,745). Os demais não foram significativos.    R   E   S   U   L   T   A   D   O   S   D   O   S   P   R   O   N   T   U    Á   R   I   O   S
Related Search
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks